segunda-feira, 18 de abril de 2011

Dos calos, das mágoas e das rasteiras

Desde sempre, tive a sensação de que chegaria o dia em que eu faria parte das pessoas desconfiadas, frias e descrentes. Falo isso em relação a sentimentos, a relacionamentos - de qualquer tipo, ressalto - e a coração! Para entender melhor, tenho que explicar que quando mais novo, no auge da minha empolgação, descobrimentos e "inocência", eu não entendia por que as pessoas mais velhas - aquelas com quem sempre preferi me relacionar - eram distantes, arredias e, na maioria das vezes, desconfiadas e frias. Confesso, de antemão, que ainda acho isso complicado; mas começo a entender melhor, a sentir!

Amigos, paixões, colegas e conhecidos. Muitos foram (e são) os que me falavam sobre desilusões, tombos, rasteiras e decepções... E muitos foram (e são) os que, vira e mexe, estão vivendo as mesmas sensações. Eu mesmo passo a fazer parte deste seleto grupo - leia-se seleto como "a grande maioria". Rs. Último namoro terminou traumaticamente inesquecível, amizades que insistem em decepcionar, fora todos os outros problemas clichês e corriqueiros: família, trabalho e dinheiro.

Digo que começo a entender tudo isso, porque passo a determinar prioridades para minha vida - coisa que deveria ter feito desde sempre. Mas ao fazer isso, por não ser acostumado com as praticidades e mandamentos da razão, passo a pensar sob a perspectiva de uma pessoa distante, que passa a enxergar tudo e a todos como se fosse o narrador onisciente de sua própria história de vida. Estou assustado, confesso, "porque (ainda) metade de mim é amor! E a outra metade também!".

Minhas defesas aumentaram, fato! Mas mesmo assim, ainda sonho com meu conto de fadas... Não os contos de fadas que ouvimos desde criança, mas o conto de fadas que eu quero para minha vida: o meu conto de fadas! Carrego um coração vazio, cansado, machucado, mas cheio de esperança e, principalmente, tranquilo. Pronto para receber quem realmente mereça... E se não merecer, que pelo menos valha a pena o tempo que durar! Tentarei diminuir o idealismo, e prometo continuar sendo todo amor!

8 comentários:

Rômulo Chaul disse...

Bonito isso ae.

marcelo disse...

"Mesmo q sempre nao de certo, nunca deixe de ser 100% amor. Lindissimo texto e descreve nao so vc mas muitos cansados, magoados e desiludidos com amizades, paixoes e muitas tentativas de amor! Mas nem por isso vamos nos fechar e virar um ser amargo."
Marcelo Castro
Parabens e beijosss!!

Sr. Kiney disse...

Um dia desses vai dar certo, e todas estas tuas inseguranças sumirão, e estes momentos em que chegastes a duvidar virarão nostalgia.

Ana Carolina Castro disse...

eu sempre me senti como se tivesse observando minha própria vida de longe. como se eu fosse personagem de um filme, e eu tinha que analisar as possibilidades da personagem principal (no caso, eu mesma) e ir escolhendo o enredo. e com o tempo me sinto mais e mais distante de mim mesma nesse sentido. mas não acho ruim. não faço questão de ser 100% amor.

João João disse...

Quanta ousadia ... Quem é vc pra ficar descrevendo a minha vida pra todo mundo ver? Brincadeira ... De repente, me vi seu fã. Primeiro pelo sorriso. Agora, pela escrita. Quem te vê com tantos amigos e "per"seguidores não imagina tanta emoção dentre de um só e nobre coração. Tvz eu te entenda tanto que te acuse de plágio. Mas ng plagia tanta autorreflexão. Deve ser por isso o que passam os amantes, os eternamente apaixonados e não menos desiludidos. Se nos encontramos, ou choramos tantas mágoas ou nos olhamos como se a referida esperança estivesse por nos rondar.
...
Sucesso! Siga forte!
Cordiais abraços!!!
F
U
I

João

Cecília Dantas Ribeiro disse...

Tudo bem, eu chorei, tá?! Estou complusivamente lendo textos na internet - inclusive os seus - para a amenizar a dor do término do meu namoro, que não está sendo fácil.. Enfim, ótimo texto..

Sorriso disse...

Quanta amargura, hein? Todo amor? Com essa desconfiança toda? Toda essa cobrança? Melhor seria se fosse "todo entregue", "todo solidariedade", "todo compreensão".

Esse "amor" aí tá mais pra amor próprio, aliás, egocentrismo.

Nayara disse...

Oi Rodrigo, que lindooo esse seu texto, é como se vc tocasse na vida de todos nós, Parabéns Rô! mais uma vez,vc conseguiu tocar meu coração com suas palavras!! aff como diz nossa amiga Cati. LINDO, LINDO, LINDO....